Confira a entrevista com Michael Malarkey (Enzo) em sua visita ao Brasil

by

Artigo por Minha Serie.

Esses últimos dias têm sido bastante intensos para qualquer um que acompanhe The Vampire Diaries. O episódio final da sexta temporada ainda está fervendo na mente dos fãs após ter ido ao ar nos Estados Unidos na última quarta-feira (14). Não se contentando em marcar a saída de Nina Dobrev da série, o season finale deixou uma porção de pontas soltas, tornando difícil a espera até a próxima leva de histórias – que só deve chegar em outubro.

Como se isso não bastasse, os brasileiros receberam um presente bastante especial relacionado ao seriado. Aproveitando esse momento importante para a produção e fazendo bom uso de seu pouco tempo livre, o artista Michael Malarkey, responsável por interpretar o carismático Enzo, deu um pulo em São Paulo neste sábado (16) para divulgar a produção e conhecer melhor seu público no Brasil.

Claro que nós aproveitamos a oportunidade para bater um papo com o rapaz e saber um pouco mais do futuro de Vampire Diaries. Esbanjando bom humor, o ator e músico de 31 anos falou sobre a despedida de Nina, fez algumas previsões sobre o futuro do seu personagem e se arriscou a dizer se Enzo pode vir a ganhar um par romântico na sétima temporada. Confira abaixo a entrevista na íntegra.

Os rumos de Enzo

Minha Série: O Enzo foi um personagem que surgiu na quinta temporada e acabou ganhando bastante destaque, abocanhando um papel ainda mais importante nesse último ano da série. Dito isso, ele tem uma ligação bem forte com Lily, mas, ao mesmo tempo, tem uma amizade muito grande com Damon. Como fica a lealdade dele nesse sentido?

Michael Malarkey: Essa é uma boa pergunta, sabia? É algo que eu acho deve ser bastante explorado na sétima temporada, essas polaridades opostas da lealdade de Enzo. Se eu tiver que “chutar”, já que os roteiristas não nos contam praticamente nada, diria que eles conseguiram estabelecer bem a ideia de que ele se “juntou” à família de Lily, de um certo modo, fazendo parte da casa Salvatore. Porém, Enzo também tem uma aliança com Damon, então vai ser interessante ver que caminho o enredo vai seguir, se vão investir mais nesse tipo de atrito.

MS: Mas você diria que ele, que tem um jeito mais solitário, considera que finalmente achou uma família para si?

Michael: Sim, sim, acho que é o mais próximo que ele vai chegar de ter uma família. Para ele, é um grande alívio ter alguém que o aceita pelo que ele é, porque, se você levar em consideração temporadas passadas, há diversos outros personagens que o julgaram ou criticaram suas escolhas. Enquanto com Lily, que o acolhe ele de braços abertos, ele não precisa ficar discutindo para mudar a opinião de ninguém.

Despedidas e novos caminhos

MS: Sabemos que vocês ainda não receberam os roteiros para o sétimo ano do seriado, mas tem algo que você possa compartilhar conosco além desse aprofundamento nas relações do seu personagem?

Michael: Na verdade, embora a parte que toca o meu personagem seja bem empolgante para mim, estou bastante curioso para ver o que eles vão fazer sem a Nina [Dobrev] no elenco. Acho que é uma oportunidade fantástica para que eles meio que “resetem” a série e se concentrem em criar novos dramas para a história. E, mesmo com a Nina deixando o programa, a presença de Elena ainda é muito forte, principalmente por conta dos sentimentos de Damon por ela. Então, estou bastante empolgado por essa oportunidade de ver coisas novas em The Vampire Diaries.

MS: Falando na Nina, embora todos envolvidos na produção já soubessem que ela deixaria o seriado – e os fãs também, desde que foi anunciado oficialmente no começo do ano –, como foi esse período final com ela nas gravações? Foi uma despedida bem sentimental?

Michael: Bem, todos nós fomos para um lago na região da Georgia, era como se fosse a nossa festa de despedida secreta. Sim, essa parte foi bastante emotiva, estávamos todos juntos, passeamos de barco no lago, acendemos fogueiras e nos divertimos bastante, foi muito legal. No último dia de filmagem, depois da gravação da cena final, que mostra Elena e Damon na estrada, meio que dançando, eles basicamente encheram a Nina de bolo, confete e serpentina.

Ela ficou toda coberta disso, como se fosse a Carrie, do Stephen King [risos]. Nina fez um pequeno discurso, Julie [Plec] (cocriadora da série) também, todo mundo ficou com os olhos marejados, sabe? O lance é que, para Nina, que cresceu com a obra e tinha apenas 20 anos quando tudo começou, essa foi uma parte muito grande da vida dela. Só posso desejar o melhor a ela.

Planos para o futuro

MS: Voltando a falar da sétima temporada, você acha que haverá algum tipo de par romântico para Enzo? Acredita que os roteiristas vão criar um casal com ele para fazê-lo mais conectado com os diferentes núcleos de personagens?

Michael: Pois é. Isso parece ser algo que costuma acontecer bastante no universo de Vampire Diaries [risos], então, uma parte de mim já espera algo desse gênero em um futuro próximo. Porém, outra parte gosta muito do fato de ele ser um cara mais do tipo solitário ou renegado, e nós não temos muitos personagens assim no seriado. Acho que é um aspecto importante a ser mantido, alguém que é mais reservado, que não tem que prestar contas a diversos núcleos.

Ao mesmo tempo, a conexão que ele tem com Lily – ainda que não seja, de modo algum, romântica – vai satisfazer um pouco essa necessidade de ele interagir com o resto dos personagens na série, porque ela é uma Salvatore. Mas, no fim, teremos que aguardar para ver o que eles vão fazer.

MS: Fora o compromisso com Vampire Diaries, você tem outros planos para a TV, cinema ou mesmo para se dedicar à carreira musical? Ou será que a agenda anda tão apertada que é difícil espremer esses tipos de atividades?

Michael: É complicado, já que, atualmente, as gravações duram cerca de nove meses, então nosso período de descanso é muito curto. Não dá tempo de fazer muita coisa, na verdade. Você consegue participar de um filme independente ou algo do tipo, mas depende muito de como está a agenda. Na situação atual não, dá para dizer algo como “Ei, acho que quero fazer o próximo Jogos Vorazes”, entende? É preciso participar de audições e ver se tem algum papel para você.

Enquanto estou com um personagem fixo na produção, meu plano é usar esse tempo livre para me focar na música. Estou gravando meu próximo CD agora mesmo, quer dizer, foi na semana passada, e está ficando ótimo. Estou trabalhando com um produtor muito bom em Atlanta e estou muito empolgado com esse material.

Contato com o Brasil

MS: Alguma chance de você vir tocar aqui no Brasil?

Michael: Como eu disse, é difícil por conta do cronograma bem restrito de filmagens. De vez em quando eu faço shows pequenos de sábado ou domingo – porque a gente não costuma gravar aos finais de semana –, pegando voos para Nova York ou Los Angeles e tal. Não dá para fazer o mesmo vindo para locais mais distantes como o Brasil tendo que voltar para o estúdio na segunda-feira. Além do que, é preciso sempre marcar esse tipo de coisa com bastante antecedência e nossa agenda muda o tempo todo.

MS: E essa é sua primeira vez no país, então? Pelo que ouvimos você acabou de chegar por aqui, é isso?

Michael: Sim, sim, as pessoas me perguntam “E aí, o que você mais está curtindo?” e eu só posso responder algo como “O aeroporto é… bacana. Meu quarto do hotel é bom” [risos]. Não, mas sério, estou querendo passear um pouco, quem sabe sair essa noite, jantar em algum lugar, conhecer um pouco a cidade. É bem apertado, porque pego o avião de volta na manhã segunda-feira (18).

MS: Você tem alguma mensagem final para os seus fãs brasileiros?

Michael: Nós amamos todos vocês! Os brasileiros são alguns dos fãs mais fiéis e intensos do mundo, e digo isso do fundo do coração. Muito obrigado por todo o seu apoio e espero que vocês estejam tão empolgados com a chegada da sétima temporada como eu estou.

Apesar dos compromissos com a imprensa neste sábado, o plano é que Michael só falasse com mais algumas pessoas até o começo da tarde para então poder tirar o resto do dia de folga e conhecer um pouco mais da capital paulista. Praticamente esse vai ser quase todo o tempo livre que o ator vai ter, já que no domingo (17), a partir do meio-dia, ele está escalado para receber os fãs no evento “Vampire #TakeOver”, que ocorre em um hotel na região dos Jardins.

E aí, gostou da visão de Michael sobre o futuro de Enzo? Está contando os dias até poder conferir a continuação da trama dos irmãos Salvatore? Deixe sua opinião mais abaixo, na seção de comentários.

Comentários: